A Saga de um Herói

domingo, 12 de fevereiro de 2012


     Essa vai ser uma nova série que estou criando para o meu blog, sempre tive vontade de escrever uma história de super-heróis, mas pegando bastante da verdadeira realidade vivida pelos adolescentes, e não aquelas coisas fúteis que vemos em todos os seriados americanos.
   Hoje estou postando a primeira parte, ainda estou escrevendo, e fazendo pesquisa para complementar a história, e conforme vou escrevendo vou postando aqui no blog, então fiquem ligados que em breve vou postando coisas novas sobre esse novo heroi.




    Um garoto normal, 14 anos de idade, o começo, simplesmente o começo de tudo e de sua adolescência. Vive em uma cidade que ele mesmo não gosta das pessoas que habitam nela, por tratar-se de pessoas diferentes do seu modo de ver, agir e pensar. Outros adolescentes que só sabem destruir aquilo que a sociedade tem para oferecer, e ainda reclamam que o lugar onde moram é ruim, e por que será?

    Ele sempre teve aquela vontade de mudar o mundo, de fazer e acontecer, de fazer justiça com as próprias mãos, mas infelizmente as suas mãos eram fracas, e por mais que ele queria surrar todos àqueles valentões da escola, e todos aqueles que destruíam a cidade, algo em seu consciente dizia que somente aquilo não ia resolver todos os problemas do mundo.

     - Mas, fora toda essa revolta, sou um garoto normal, alias, normal não, eu odeio ser normal. Mas tudo bem, vocês vão perceber. Bem moro com a minha mãe e a minha irmã. Meu Pai? Hum, acho que ele só Deus sabe onde ele está.  

     - Ah, quase esqueço, eu sou Gabriel Quedar, meu nome é um tanto quanto estranho, Gabriel é um nome de um anjo, e Quedar é o nome de um filho de Ismael, que é filho de Abrão, que habitava em tendas escuras. Meio contraditório não? Um nome bom e um ruim, minha mãe diz que o nome é por parte da família do meu Pai, uma linhagem antiga de uma família religiosa (apesar de não ser tão religioso assim). Mas como deu pra perceber não sei muita coisa sobre ele.

     - Chega de falar sobre minha família né? Bom,  aqui Estou em um fim de tarde, em uma das estações do ano que eu mais gosto: O Verão. Férias, e cada vez mais próximo do meu aniversário. Gosto muito de ir à praia sempre que tenho a oportunidade, não sou de uma família rica, com alguns apertos, sim, nunca faltou nada em casa.
    - É nessas tardes de verão que eu gosto de ficar sozinho, e fazer o meu programa favorito: Subir no telhado da casa e ficar admirando o céu, e viajando nas varias formas que as nuvens formavam. Estava somente eu ali, sentando em um banquinho que eu tinha levado para cima do telhado, e aquela brisa leve de verão, refrescando nem que fosse um pouquinho, o meu corpo, e fazendo o meu cabelo bagunçar. 

    - Minha Mãe sempre me dizia pra quando eu subisse no telhado, para eu tomar cuidado, e não chegar muito próximo da beirada, pois a nossa casa era muito alta (onde moravam, não somente eu, mas parte da família do meu Pai, tios, tias e primos, era uma espécie de um cortiço com varias casas). Mas eu sempre gostei de viver perigosamente, criar as minhas próprias aventuras.

    - Caminhei até a beirada do telhado da casa, o sol quente banhava tudo  a minha volta, havia poucas nuvens no céu, e aquela leve brisa de verão continuava refrescando aquele calor intenso. 

    - Ali em cima eu podia ver o bairro todo, uma escola, as fábricas, mercearias, lojas e etc. Eu adorava aquela vista, e a noite, eu achava tudo mais bonito com as luzes da cidade, ás vezes ficava horas olhando da janela da minha casa, esperando a hora do jantar.

    A brisa de verão continuava, e Gabriel não notava, mas aqueles ventos que o refrescava, aumentavam sua força repentinamente. Ele já estava na beirada do telhado quando olhou pra baixo e sentiu aquela tontura de quando se olha de um lugar tão alto, e se desequilibrou com a ajuda do vento que bateu em suas costas. Tentou balançar os braço para recuperar o equilibro, mas foi em vão... Gabriel começou a cair de uma altura de mais ou menos uns 10 metros...

    -Sabe aquela famosa história de que quando você está próximo da morte, você vê a sua vida inteira passar em sua mente? Então é mentira isso não acontece... Brincadeira é verdade, infelizmente ali, a mais de 10 metros de altura vi toda a minha vida passar na minha frente. Quando eu era Bebê e uma visita ao zoológico. Minha infância e as brincadeiras de rua, paixões platônicas e tudo mais. É eu sou muito novo então não aconteceram tantas coisas assim, e exatamente por isso eu não queria morrer assim, não tão rápido, sempre achei que tinha muitas coisas para realizar, tanto na minha vida quanto para outras pessoas, de alguma forma, poder ajudá-las...Tudo aconteceu tão rápido...

    -A adrenalina era tão grande, que eu nem conseguia gritar. Quando juntei forças pra emitir algum som, eu já estava a dois metros de distância do chão...

    - Senti algo tão forte segurando a minha mão, que pensei que meu braço ia ser arrancado do meu corpo. Quando olhei para baixo, eu tinha parado de cair e meu corpo balançava levemente. Meu coração ainda batia freneticamente, e eu ofegava e suava muito. Olhei para cima, e meus olhos não acreditavam no que viam. Com minhas emoções a flor-da-pele não conseguia distinguir muitas coisas.

    Mas aqueles olhos castanhos extremamente claros, com um olhar sério, penetrante, mas que de alguma forma te acalmava, com uma voz firme e acolhedora disse:

    -Calma meu jovem xará, ainda não é a sua hora, você anda tem uma missão a cumprir nesse mundo.

    Eu não acreditava no que via, com os nervos e sentimentos estourando em minha cabeça, tudo começou a ficar escuro, meu corpo ficando mais mole do que já estava, e desabei... Acabei desmaiando.





Continua....

13 comentários:

Anônimo disse...

adoro historias *_*, e essa promete! Adorei Juu, vamos escrevendo essa continuação logo, sabe como as aquarianas são rs. Muito bom!

PS: qqr semelhança com o autor não é mera coincidencia ;D hahah

Beeeijos, Anne!

Bárbara Romero disse...

Gostei muito, belo começo, Sr. Atordoado. Fiquei curiosa com o restante...
Tá muito fácil de ler, uma leitura leve e gostosa, se fosse um livro, engoliria rs

Parabéns, Ju!

Daniel disse...

Boa ideia essa mano, a foto tá bem legal. Quero acompanhar o desenrolar da estória ((:

Cecília Romeu disse...

Junior,
esta série promete, gostei da proposta e acho que tem um apelo juvenil super legal, você também deixou um tanto de suspense nas entrelinhas e personagem descrito de forma interessante que deu vontade de ler mais.
Parabéns!

Abração

Ricky Oz disse...

Bacana cara, já to curioso pela continuação... quanto à minha história, não só tem continuação como tem capítulos anteriores e outras séries também... de uma olhada lá, acho que você vai gostar: http://rickyoz.blogspot.com/2011/11/onde-tudo-comecou.html

Victor Von Serran disse...

Nem acreditei que você postou esse texto enorme, em que pessoa você ta falando no texto, só isso não compreendi bem, fora isso, ta curioso e interessante !

Heitor Lima disse...

Cara, adorei o começo da sua história! Seu blog parece ser realmente muito bom :)
Espero poder ler os capítulos seguintes. Visita-me?
Abraço.

Sabrina Gomes disse...

Amei, o enredo e a história em si, ficou muito bom. to te seeguindo..será uma honra te ter por lá, acredite! www.spiderwebs.tk

Alquimista de Sonhos disse...

Cara, parece um daqueles sonhos que a gente tá caindo e sente que vai morrer! kkkkkk

Victor Von Serran disse...

continua postando a historia rapa !

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Obrigado pela visita no Olhar d'Ouro - Photography.
Mt interessante teu blog. Vou seguir, faz lá o mesmo para a rede ser cada vez maior!

Abraço

Anna Oliveira disse...

'o' muuuito legal!
Espero o proximo capitulo da historia! :D rs

Obg pela visita no "Primeiros esboços"!! *-*

Joicy Sorcière disse...

TEm "cenas" do próximo capítulo? Quando? Quando? Quando? rs

bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...